quarta-feira, 16 de novembro de 2011

A OUTRA FACE

Ouvistes o que foi dito: Olho por olho, e dente por dente. Eu, porém, vos digo que não resistais ao mal; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra.

Quando nossos corações se rendem às interpretações de sacerdotes que um dia também se renderam às interpretações de seus superiores, tenho receio de que tais interpretações estejam eivadas de ideologia.

Perdõe-me Senhor Jesus Cristo se eu cometo agora mais um erro, dos tantos que cometi em minha vida, mas não posso furtar-me a escrever o que sinto, o que penso, o que eu acredito!
Pois eu ouvi, Senhor, o que me dissestes: Olho por olho, e dente por dente.

Em um mundo de injustiças, criado pelos homens que idealizaram sociedades ajustadas aos interesses de apenas alguns; comunidades específicas de poderosos e guetos de marginais que não exergam a maioria, é de saber que também nós devamos defender àquilo que nos pertence por direito de justiça. Nesse mundo, olho por olho, dente por dente.

Esquecidos na lama da miséria humana, perdidos por causa de ruelas inacabadas daquilo que certos homens construíram só para sí, embora o suor da testa tenha sido de todos, não vejo mais sentido de interpretar que a outra face seja para apanhar, senão para revidar da mesma maneira como recebi àquele mal. Se me baterem na face direita, oferecerei a outra, que não terá a mesma brandura e, de certo, revidará da mesma maneira, pois o justo o é para o outro e para mim, assim como o é para todos, e não só para alguns.

8 comentários:

PRECIOSA disse...

Professor Irapuan
Passando para agradecer sua visita e seu comentário.
Fiquei muito feliz.
Suas palavras deram-me ainda mais incentivo para continuar a passar todos meus pensamentos e fatos.
Que seu dia seja regado de muito amor e paz.
Abraços com carinho
Preciosa Maria

Aline Teles (Sensitivity) disse...

Sabe, caro amigo, essa passagem da bíblia sempre me chamou muito atenção. Já refleti. Já escutei opiniões de pessoas religiosas. Já ouvi a opinião de ateus. Enfim... até hoje não cheguei a uma conclusão sobre o tema em tela. Ainda mais, observando o cenário que somos obrigadas engolir todos os dias. Porém, no momento fecho com a sua opinião. Belo tema. Beijinhos e uma linda quarta.

Ma Ferreira disse...

Querido Professor Irapuan!

Não acho que devemos pagar o mal com a mal. Se alguém bater na minha face o me silencio.
Controlo meu impulso.
É um exercício diário. Mas se queremos que o mundo melhore, não podemos usar os meios que as pessoas do mal usam, senão estaremos nos igualando a eles.
A sociedade é injusta sim;. Mas cabe a nós, no nosso pequeno mundo sermos justos.
O que é ser justo?
É agir com o outro da mesma maneira com que gostaríamos que agíssemos conosco.

O mundo não muda se eu não mudar!

Parabéns pela sua bela crônica, que nos leva a reflexão.

Vamos construir um mundo melhor?
Começando onde? Começando em mim.

Um abraço!

MARILENE disse...

Que texto encantador! Não deixou de oferecer a outra face, mas o fez em nome da verdade e da justiça, buscando, também, outros resultados.

Bjs.

BIA disse...

Olá Professor!!!

Concordo plenamente com o Má,eu penso e reajo assim como ela falou no comentário.
Eu acredito na lei do retorno e já vi exemplos reais e concretos, cedo ou tarde tudo volta por mais que pareça que não.
Bjs
Bia :)

Astrid Annabelle disse...

Gostaria que soubesse que li várias vezes seu texto Ira.
Você escreve muito bem e nos leva a refletir um bocado.
Tenho uma opinião firme formada a respeito desse tema porém não caberia expô-la aqui. Um dia, se for vontade de Deus, conversaremos ao vivo.
Um beijo
Astrid Annabelle

Prof. Irapuan Teixeira disse...

Preciosa, Aline, Ma, Marilene, Bia, minha Mestra de Reiki, Astrid... comentários valiosíssimos, eu agradeço a leitura e as palavras sobre o texto. Voltem sempre para que o debate engrandeça as idéias. bjs.

Néia Lambert disse...

Prof. esse é um assunto bem complicado de ser debatido, respeito a sua forma de interpretá-lo.

Um abraço.