domingo, 27 de outubro de 2013

ONDE ANDARÃO? Encontros, reencontros e desencontros...

Há vários anos venho republicando este texto em meus blogs; a intenção é o reencontro, saber por onde andam velhos companheiros de caserna, na esperança de retornar no tempo através da memória.

Albatroz: passaram-se 40 anos...
Em pé: Cb. Irapuan; Cb. Dario; Cb. Bittencourt; Cb. Azevedo; Cb. S. Gandon; 
Sgt. N. Gandon (hoje Capitão); Cb. Selmo (hoje Sgt) e, agachados: Cb. Brandolf; 
Cb. Dionísio (hoje Sgt) e Cb. Mative. Encontro na Praia de Albatroz.

Pois teve êxito essas publicações e muitos contatos foram efetivados; além da tenacidade do Cb. Dário, que conseguiu reunir 10 companheiros do antigo 1º/18º R.I. de Porto Alegre (hoje 18º BIMtz, sediado em Sapucaia do Sul-RS), na praia de Albatroz, mais de 40 anos depois de cumprida a missão militar inicial. 

Lá estiveram Cb. Bittencourt, Cb. Mative, Cb. Azevedo, Cb. Brandolf. Cb. Dario, Cb. Sidnei Gandon, Cb. Selmo (hoje Sgt reformado), Cb. Irapuan, Cb Dionísio (hoje Sgt reformado) e Sgt Nelson Gandon (hoje Capitão reformado). 

Além de um encontro preliminar feito no Atelier Selmo Ramos, em Porto Alegre, onde eu, Dario e Selmo confraternizamos em um almoço, também nos reunimos na Semana Farroupilha, para prestigiar nosso companheiro Cb. Mative, hoje cantor nativista, que se apresentou naquele palco em um evento brilhante. 

Recentemente, em Florianópolis, mais uma confraternização, desta vez na casa do Gandon, onde recepcionamos o Cb. Mative e sua família.

Já programamos outras festividades e esperamos o comparecimento de mais companheiros que um dia vestiram a farda verde oliva.

A lembrança é o repositório da história, a história existencial e a história de cada ser que transita neste mundo.

Os reencontros vêm acontecendo e eu agradeço muito àqueles que nos informam sobre um ou outro dos velhos companheiros da vida militar pois assim nossa história cria vida.

Informações são bem vindas...

Foi dessa forma, através de informações, que encontrei o filho do Cb. Adão Renato e pude saber que o velho companheiro do 9º R.C.B., de São Gabriel, para onde fui transferido, dando continuidade a minha vida militar, se encontra hoje em João Pessoa, já reformado, como sargento. 

Também, através da internet, reencontrei com o irmão do Cb Dias e 
pude lhe escrever. São acontecimentos de rara felicidade que nos remete ao passado trazendo alegria.


Juntamente com boas notícias, algumas tristezas; infelizmente o soldado Martins, nosso companheiro de Pelotar do 1º/18º R.I., que chegou ao posto de Capitão, partiu de forma inesperada e abrupta. Mas, assim é nossa existência; caminhamos... Também sabemos da partida de outros velhos companheiros, como o Sgt Salinhac, prematuramente falecido em acidente automobilístico; 2º Ten. Guedes (promovido a capitão) falecido também prematuramente em função de doença contraída na selva amazônica; Cb. Rudenir - Rudenir Meireles Cunha - Rudy Meireles (Artista Plástico e Poeta, falecido em função de doença contraída no exterior); Cb. Claudinei (depois Policial Civil) falecido após enfrentar uma paralisia por conta de troca de tiros com bandidos na sua missão policial; Sd. Boff (depois Cabo) e outros ainda que não temos informações precisas. 



A vida de cada um...
Cbs. Dario, Irapuan e Selmo; no Atelier Selmo Ramos.

Reencontrar os Cbs. Dario, Gandon e Selmo, hoje reformado como sargento, infantes dos bons tempos, foi de uma alegria ímpar. Saber que o Cb. Dionísio, também reformado como sargento, é um ermitão da praia e motociclista do asfalto; que o Cb. Mative é cantor nativista; que o Cb. Bittencourt é um empresário de sucesso em Torres; que o Cb Brandolf continua sendo um grande Mestre do Karatê; que o Cb. Azevedo trilhou o caminho da comunicação e que o nosso velho sargenteante Nelson Gandon é um Capitão de praia de água doce em Itapuã alegrou-nos muitíssimo.


Foi um tempo de vida, vivido na Caserna, entre o 1º/18º RI, QG da 6ª DI, 11ª Cia Com e o 9º RCB; de 1968 a 1973, e que permanecerá alimentando nossa memória.

Mas, insisto, onde andarão os velhos companheiros de Caserna? Onde andarão àqueles que ainda não temos notícias?

Sabemos que a internet é um meio eficaz de contatos e, por isso, qualquer internauta que nos trouxer informações ficaremos gratos.

Em busca de contatos... 

Pois, a pergunta continua: Onde andarão?...

Cb. Rondon; Cb. Carlos; Cb. Jacobsen; Cb. Maciel - Antonio Carlos Souto Maciel (último contato em Caxias do Sul-RS no ano de 1986 - onde exercia a profissão de radialista); Cb. Carvalho (Sgt. da Reserva); Cb. Gomes; Sd. Getúlio (reincluído em 1969 ou 68); Sd. Pereira; Cb. Valmor; Sd. Aquiles - Aquiles Eder (de Videira - Santa Catarina); Sd. Gayer - Omar Gayer (herdeiro das empresas Gayer); Cb. Cambraia; Cb. Portela; Cb. Tavares; Cb. Teixeira; Cb. Bombardeli; Sd. Osório; Sd. Nélio;  Sd. Tolentino; Sd. Edgar; Sd. Pereira; Sd. Laudelino; Cb. Mathias; Cb. Claudiomar; Cb. Beltrão (músico); Cb. Valiatti (músico); Sd. Pimentel; Cb. Severo (provavelmente assessor político); Sd. Frota (provavelmente policial civil); Sd. Deuner; Sd. Airton. Sd. Nei (fotógrafo); Sd. Strapassom (fotógrafo); Sd. Belea; Sd. Ferrão (barbeiro); Sd. Macedo; Sd. Willirich;  Sd. Vargas; Sd. Albino; Sd. Lopes; 2º Sgt. Odracir; 3º Sgt. Lima; 3º Sgt. Flávio; 3º Sgt. Lydio (Cozinheiro e Corneteiro); 3º Sgt. Tamir; 2º Ten. R2 Adel; 1º Ten. Inf. Hilgemberg - Manuel Aldu Teixeira Hilgemberg; 1º Ten. Inf. Porciúncula; 1º Ten. Inf. Correia Lima; 2º Ten. Inf. Messias; 2º Ten. Inf. Sparta (hoje Coronel da Reserva); Capitão Inf. Cordeiro - Fernando Vilhena Cordeiro - (hoje Coronel da Reserva); Capitão Inf. Caggiano - João Caggiano Neto - (Hoje Coronel da Reserva); 2º Ten. R2 Estrázulas (Cursou a AMAN; em nosso último contato havia sido promovido ao posto de Capitão e servia em Cruz Alta, no 17º BI); 2º Ten. R2 Clézio (também cursou a AMAN, companheiro inseparável de Estrázulas; continuou no oficialato); Major Inf. Índio; Cel. Inf. Magalhães; Cel. Inf. Sharnadoff - Harry Alberto Sharnadoff; Ten Cel. Cav. Ney - Ney Lauro Nunes de Carvalho; Cel. Cav. Jacobina - Alberto Bayard Pereira Jacobina (nosso último contato foi em Brasília, no ano de 2004); Capitão Com. Brocardo - Odone Silvio Viero Brocardo (Coronel da Reserva; nosso último encontro foi em São Paulo, no ano de 2003); Major Cav. Léo; Major Cav. Salgado; Capitão Inf. Assis e seu irmão, Capitão Cav. Assis; 2º Ten. R2 Carvalho (cursou a Academia da Polícia Militar do MT e continuou no oficialato); 2º Ten. R2 Marloi; 2º Ten. R2 Bittencourt; 2º Ten. R2 Amodeo - Salvador Amodeo Neto; 2º Ten. R2 Fernando (Cursou a Academia Naval e continuou no oficialato); 3º Sgt. Coimbra (Cursou a Academia Naval e foi para o oficialato); 2º Ten. R2 Cavalinho; 3º Sgt. Adailton; 2º Sgt. Calvi; 3º Sgt. Odone; 3º Sgt. Valério; 2º Sgt. Salgado; 2º Ten. R2 Marder; 2º Ten. R2 Vicente - João Vicente Vitola; ; Cap. Dentista Del’Olmo - Florisbal Del'Olmo; 2º Ten. Médico Macy;  2º Ten. R2 apelido "Cabecita"; 1º Ten. Com. Amorim - Rui Amorim de Lima - (abandonou o Exército em meio as acusações de amizade com o Capitão Lamarca, que desertou por conta de envolvimentos com a guerrilha pós 64); 2º Ten. R2 Byron - Paulo Byron de Oliveira Soares Filho (hoje Artista Plástico);  3º Sgt. Cícero; Gen. Borges Fortes - Breno Borges Fortes; Gen. Mourão; Gen. Mena Barreto;  2º Ten. R2 Cesar; 2º Ten. Inf. Sávio; 2º Ten. Com. Élcio e os alunos da 11ª Cia. Com. CFC 1969, Cb. Santa Maria; Cb. Bonemar (pela internet foi possível reencontrá-lo; e hoje reside em Campo Grande/MS com sua família; é empresário), Cb. Elso, Cb. Silveira; Sd. Leonardo, Sd. Tolfo, Sd. Siega, Sd. Costa, Sd. Bittencourt, Sd. Prates, Sd. Assis; além de tantos outros, do 1º/18º RI, do QG da 6ª DI, da 11ª Cia. Com e do 9º RCB, que as imagens são presentes, mas os nomes se perderam pelo acúmulo de informações em nossa memória.


Claro que, à distância, eu soube das promoções; das reformas; de algumas mudanças de carreira, assim como, inevitavelmente, de alguns que já se despediram da vida; mas o trânsito no mundo exige-nos o caminhar constante.

Cada um daqueles que um dia se encontraram tem o seu mundo e o faz a cada instante, pois a existência é feita também da materialidade, com suas competições e a permanente busca por ascensão social; por esta razão meus feitos não ficaram estagnados, mas, infelizmente, distanciaram-me de muitos daqueles com quem um dia convivi.

Os nomes fazem parte da lembrança que celebramos durante um instante do tempo existencial e nos apontam o significado de Ser com o Outro. Essa identidade materializa a memória e a faz viva em nova perspectiva revivendo o passado cristalizado no tempo.


Seriam necessárias várias páginas para ser fiel a todos os que participaram e ainda participam da vida de alguém; no meu caso eu deveria acrescentar colegas de profissões, como os professores; colegas de atividades, como os de parlamento; colegas das universidades e faculdades e os amigos; estes poucos, muito poucos. Mas pensei que os meus 18 anos seria um marco referencial e por isso enumerei os companheiros da caserna, de um instante de tempo que somou mais de cinco anos. Propositalmente os nomes não estão em ordem de hierarquia e muito menos divididos por unidade militar, pois todos eles de um tempo e outro, com divisas, sem divisas ou com estrelas gemadas ou não, foram seres humanos de um interregno do meu tempo existencial.

Onde andarão?

2 comentários:

Hilgemberg Hilgenberg disse...

Olá, vi que procuras por MANOEL ALDU TEIXEIRA HILGENBERG, meu pai, falecido em 1999. Deve ter tido muito orgulho de ter feito parte de uma turma tão saudosa quanto essa.

Prof. Irapuan Teixeira disse...

É gratificante quando recebemos algum retorno dessa procura saudosa por nossos antigos companheiros de caserna. Agradeço ao Hilgemberg Hilgemberg, filho do saudoso companheiro Manoel Aldu Teixeira Hilgemberg, pela pronta resposta. Continue em contato. Abraços.